Brinde ao natural!

Mesdames et Messieurs

Que mistérios escondem a natureza?

Seu Meliê, intrépido descobridor dos 7 mares vitivinícolas, foi atrás de respostas para uma dúvida que persegue os amantes da bebida de Bacco. Afinal, qual a diferença entre naturais, biodinâmicos e orgânicos?  Pois é nessa linha do bom ambiente que partiremos.

Vinhos orgânicos: são aqueles em que toda a produção das uvas é feita sem o uso de substâncias químicas – agrotóxicos -. Tudo se baseia numa condução natural da videira, como feito antigamente, inclusive os métodos para evitar o aparecimento de insetos e outras pragas que atacam a planta. Em suma, são vinhos produzidos de uvas cultivadas a partir de um processo orgânico. Normalmente, os países estabelecem regras para que um vinho possa ser classificado como orgânico.

Vinhos Biodinâmicos:  As uvas são produzidas também numa cultura orgânica, mas há outras regras envolvidas. Precisa atender ainda à filosofia antroposófica, de Rudolf Steiner, que mistura princípios naturais e esotéricos. A fazenda precisa ser um ambiente totalmente autossustentável. A busca é por harmonia entre natureza e cosmos, com pouca interferência do homem, para que os frutos expressem as características próprias do local.   

Vinhos naturais: Não há uma regulamentação oficial sobre o tema, mas os produtores convencionaram chamar vinho natural aquele em que a uva é produzida de forma orgânica e a produção do vinho é feita também sem interferência química, utilizando leveduras naturais. Muitos nem fazem uso de conservação em barrica. Assim como nos biodinâmicos, a ideia é produzir um vinho que expresse características naturais.

          São 3 formas de se produzir vinho, pode se dizer à moda antiga. Seriam exemplos de vinho raiz!  Há produtores que fazem grandes rótulos. É o caso do Nature Rabbit, do francês Le Domaine du Pére Guillot, localizado no Languedoc, região sul  da França. O vinho é um blend entre 2 castas tradicionais do Rhone – Syrah e Viognier. A Viognier produz vinhos brancos bem aromáticos e frescos, mas também é comum vê-la ao lado de uvas tintas, como no caso aqui. Normalmente, entra no blend para amaciar a outra uva. O Nature Rabbit passa 6 meses em tanque de concreto antes de seguir para garrafa. Bem aromático, apresenta uma combinação entre um lado frutado e outro floral, numa bela combinação entre a syrah e a viognier. Em 2017, foi premiado com o bronze pela revista Decanter e pode ser encontrado aqui no Seu Meliê. Tintim!!!!

A bientot